Ato dos caminhoneiros: uma lição à ser aprendida

Os caminhoneiros brasileiros estão dando uma verdadeira lição, sobre como lutar por nossos direitos. Esses bravos trabalhadores, conseguiram mostrar para essa elite manipuladora que governa nosso país, que não aceitam mais esse sistema corrupto e explorador, ditando as regras do jogo do poder, enquanto se locupletam com nosso dinheiro.

Isso é um verdadeiro exemplo a ser seguido pelas demais classes de nossa sociedade. É claro que deve-se tomar cuidados com alguns exageros. Mas guardadas as devidas proporções, é preciso mostrar indignação de maneira civilizada, unida e legítima, na busca da causa pleiteada.

O movimento que ganhou apoio de boa parte da população, não foi um ato de oportunismo orquestrado. A categoria avisou o governo sobre essa possibilidade. Porém, o planalto não deu a devida atenção, nem providenciou qualquer estratégia preventiva para evitar o caos que se instalou. Somente depois que percebeu a gravidade da situação, tentou reagir.

Mas, ao invés de atender as justas reivindicações da classe, que sente na pele o suor de sua labuta diária, ser sugado pelo preços ordinários dos combustíveis e tributos, optou oferecê-los apenas paliativos demagogos.

Certamente o governo não esperava ouvir um sonoro NÃO da categoria. Acreditou ser mais uma porção da sociedade que iria engolir passivamente as migalhas vindas lá de Brasília. Enganou-se.

Imagem ilustrativa: Caminhões parados no corredor (Arte: Blog do JC)

É bem verdade que todos nós, cidadãos e instituições , sofremos as consequência de uma greve promovida pelos principais responsáveis por abastecer um país inteiro, com os mais diversos produtos e insumos.

Mas acredito que, não devemos culpá-los, nem criticá-los por protestarem contra um sistema perverso. Na verdade, eles são verdadeiros heróis. Pais e mães de famílias que deixam suas casas e passam dias e dias rodando por essas estradas, para garantirem seus sustentos.

Aliás, estradas que também são outros entraves para suas jornadas. Esses homens e mulheres conduzem veículos pesados por vias perigosas e esburacadas. Muitas delas, sem segurança, nem sinalizações. Arriscam suas vidas, transportando mercadorias de norte à sul do Brasil. Às vezes, se sujeitam a remédios e drogas para conseguirem cumprir suas jornadas. Sem falar nos prejuízos financeiros, sofridos ao longo do caminho.

 

Herança maldita

 

Por outro lado, não darei aqui, uma de ‘advogado do diabo’. Mas, há de se reconhecer que, apesar das aberrações, irregularidades e acusações que pairam sobre o atual governo (pelo qual não tenho a mínima simpatia), não devemos atribuir somente à ele, o desfeche dessa crise. Isso é causa e efeito de uma herança maldita de quase todos que ocuparam a cadeira do Planalto. Sendo que a partir dos escândalos descobertos nos últimos 15 anos, essa recessão só vem aumentando.

Sobre a greve em si, estão falando em uma possível ingerência de donos de transportadoras para manter-se a paralisação, até divulgaram um vídeo, (confira reprodução do G1), sobre a possibilidade.

Sendo verdade, segundo os especialistas, a prática é ilegal e deve ser apurada. Mas, independente disso, a classe conseguiu chamar a atenção da Nação para os desmando de nossos gestores e seus descasos com as classes trabalhadoras que movimentam a economia deste país. Já a colunista Míriam Leitão de o Globo/G1, faz a sua análise.

Na minha modesta opinião, o sucateamento que fizeram na Petrobrás, comprovado pelas investigações da Lava Jato, é grande responsável pelas constantes altas no preços dos combustíveis. Não adianta querer atribuir ao câmbio, a justificativa para os astronômicos reajustes nos preços do diesel, gasolina e gás de cozinha, por exemplo, como tem sido relatado.

Visto que, quando há queda no valor do dólar, não acontece o mesmo com os combustíveis na bomba.

No bojo da minha ignorância de leigo cidadão, continuo me perguntando: se o Brasil é grande produtor de petróleo, inclusive, propaga-se com orgulho a descoberta do Pré-Sal, etc. Então, o que justifica o preço tão absurdo do combustível por aqui? – Alguém me explica, por favor!

Outra indagação que me faço é… será a estatal quer ‘extrair’ do nosso bolso, a grana que os espertalhões de colarinho branco desviaram dela?

O montante que as investigações revelam ter sido rapinado, certamente seria suficiente para não causar seu desequilíbrio financeiro e estrutural. E possivelmente nós outros, não estaríamos sendo vítimas de preços tão inflacionados, não só dos combustíveis, mas também de outros produtos que consumimos.

Acho que está na hora da sociedade como um todo, acordar para a realidade. E não somente despertar em alguns momentos de manifestações como as que já tivemos.

Não devemos também, dá ouvidos à discursos politiqueiros de aproveitadores demagogos que aparecem em momentos como esses. Temos que aprender filtrar, entre o que é dito como ideia real de solução para os problemas e papo furado de palanques eleitoreiros.

Não são paliativos como bolsa família (do jeito que foi formatado), nem cotas escolares (sem nenhuma perspectivas de mercado de trabalho para absorver as mãos-de-obra formadas), que irão combater de verdade a extrema pobreza e desigualdades sociais, como tentam nos vender, os políticos. Enquanto isso, eles desviam nosso dinheiro em benefício próprio, ferrando o Brasil.

Precisamos aprender a ‘brigar’ pelo que é nosso,  garantido pela nossa Constituição. Não aceitar esmolas em troca de voto, pensando apenas na satisfação momentânea. Esquecendo das consequências disso em médio e longo prazo.

 

Foto Destaque: Instagram Sula Miranda

Deixe Seu Comentário (digite abaixo)

%d blogueiros gostam disto: