Vamos pagar pelo ‘rombo’ da Petrobrás…?

Por: JC Santana 

 

Parece que a dona Petrobrás resolveu dar um ‘golpe’ na sociedade brasileira (golpe aqui, não é nenhuma alusão à fala de quem quer que seja). Após os ladrões e corruptos de colarinho branco (publicamente divulgados via Lava Jato), terem roubado seu capital e ‘manchado’ sua imagem, a estatal decidiu praticar uma política dolorosa de reajustes, quase diária, nos preços dos combustíveis dos veículos e no gás de cozinha.

Possivelmente para tentar reequilibrar suas finanças e voltar a ter o ‘orgulho de ser brasileira’. Porém, ao invés de ir atrás das contas de quem comprovadamente a roubou seu dinheiro, a ela resolve ‘enfiar a mão’ em nossos bolsos. Por falta de uma concorrência no mercado, somos obrigados a pagar o preço que ela impõe. Ou seja, ao que tudo indica, estamos pagando pelo rombo causado por seus infratores.

O Brasil, grande produtor de petróleo (anos atrás, até fizeram maior festa para comemorar a maior descoberta entre os novos poços), o chamado Pré-sal. Num mercado onde a empresa praticamente detém o monopólio do segmento, como pode cobrar preços tão exorbitantes pelos seus derivados?

Resultado de imagem para imagens de pessoas desesperadas com o preço do gas  

Segundo pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP) realizada no país e conforme comprova a foto à direita (tirada por mim) em um posto de combustível na cidade de São Paulo, hoje (10/01), o litro da gasolina está em média R$4,15. O óleo diesel, R$3,36. E o botijão de gás, 13kg, R$67,20 (há locais cobrando quase R$90,00). O que justifica esse assalto ao bolso do consumidor, senão for a tentativa de refazer seu caixa?

Em seu discurso  a empresa diz que essa nova política de preços, é para acompanhar a cotação internacional. – Por conta dos esquemas praticados por políticos e por ex-diretores, ela teve que fazer um acordo de quase U$3 bilhões, no final do ano passado, para se livrar de Processos Judiciais com investidores americanos, que se sentiram enganados ao serem atraídos para investirem em seus papeis. E agora, parece a petroleira quer recuperar toda essa grana e mais os outros cerca de 6 bilhões de reais desviados, às nossas custas.

O pior…

 

O pior de tudo, é que não se percebe nenhuma reação por parte da população. Não se ouve gritaria, não há manifestação, nada. A própria imprensa, só faz noticiar, não questiona. Parece que ninguém está sentindo no bolso, o efeito dessa excrescência.

Recentemente saiu uma pesquisa indicando que desde que a Petrobrás adotou essa nova prática de preços, os percentuais dos reajustes já chegam respectivamente, a 17% na gasolina, 9% no óleo diesel e 56% no gás de cozinha. Mas ninguém a questiona, onde isso vai chegar?

Não sou especialista econômico, mas avaliando como um leigo consumidor, em seguindo essa trajetória, logo logo a Petrobrás se igualará à época da hiperinflação do País. Lá no início da década de 90, quando havia remarcação diária dos preços das mercadorias, nas gôndolas dos supermercados.

Está mais do que comprovado. Quando há aumento no combustível, o reflexo recai sobre toda cadeia dos produtos de consumo. Especialmente o alimentício. Quem costuma almoçar em restaurante, por exemplo, tá pagando muito mais caro. Quem cozinha em casa, quase não tem condições de comprar um botijão regulado.

Recentemente saíram notícias de pessoas sofrendo queimaduras ao tentarem acender o fogo com álcool e outros que se arriscaram com explosões dentro de casa, ao optaram comprar gás clandestinos, por serem mais baratos.

– Que país é esse, que massacra tanto sua gente… E que gente é essa, que não se manifesta?

 

Créditos das Fotos: Petrobrás (Instagram) Botijões de Gás (Internet)

Deixe Seu Comentário (digite abaixo)

%d blogueiros gostam disto: